DIA 27 DE AGOSTO – DIA DO CORRETOR DE IMÓVEIS

Curiosidades sobre os Corretores de Imóveis

O que você sabe sobre a profissão?

 

Curiosidades sobre os Corretores de Imóveis
Hoje, 27.08, comemora-se o dia do Corretor de Imóvel. Mas, você já se perguntou como surgiu essa profissão e quem foi o primeiro corretor de imóvel do Brasil? A CENTURY 21 Brasil traz essas e outras curiosidades sobre a profissão, acompanhe: 

Ano 1595 – Nos primeiros anos da colonização do Brasil já existia uma preocupação com a comercialização e o registro dos imóveis. O primeiro documento sobre este assunto encontra-se no livro IV, Título VII, das Ordenações do Reino, recompiladas por mandato do rei Felipe I, em 1595, e que assim dizia: “se for senhor de alguma cousa e vender duas vezes a desvairadas pessoas, o que primeiro houver a entrega della será della feito verdadeiro senhor, se della pagou o preço por que lhe foi vendida ou se houve o vendedor por pago della, porque concorrendo assim na dicta venda entrega a cousa e paga do preço, o fazem senhor della”.

Ano 1807 – Antônio Armando Mariano de Arantes Costa foi o primeiro corretor de imóveis do brasil, em 1807.

Ano 1821 – Os anúncios de jornal, comprovando a comercialização de imóveis, surgiram a partir de 1821, junto com a introdução da imprensa no país. O Sentinela e O Tamoio, no Rio de Janeiro, foram os primeiros jornais publicados no Brasil, e neles já havia os anúncios de imóveis.

Ano 1901 – O Corretor de Imóveis, como profissão, surge no século XX. Nessa época era conhecido como agente imobiliário. Como não existiam cursos de formação relativos à área, a escola da vida acabou formando os primeiros profissionais, que passaram a viver exclusivamente da intermediação imobiliária.

Ano 1920 – É no âmago do surto da urbanização da última década do século XIX, quando a capital do Estado de São Paulo se torna o local para onde afluem quase 200 mil pessoas, principalmente imigrantes italianos, que são construídas as primeiras vilas (espécie de bairros), inclusive aquelas destinadas aos operários. São Paulo cresce 168% entre 1890 e 1900 e 141% entre 1900 e 1920, o que no mínimo provocou uma grande demanda por habitações. É nessa época que começam a surgir os primeiros Corretores de Imóveis, assim denominados profissionalmente, nas capitais ou grandes conglomerados urbanos.

Ano 1937 – O primeiro Sindicato de Corretores de Imóveis a ser reconhecido como tal no Brasil foi o do Rio de Janeiro. No dia 7 de janeiro de 1937, o ministro de Estado dos Negócios do Trabalho, Indústria e Commércio, em nome do presidente da República do Brasil, assinou a carta sindical, reconhecendo oficialmente o “Syndicato dos Corretores de Immóveis do Rio de Janeiro” como “syndicato profissional de trabalhadores por conta própria”, por despacho de 29 de outubro de 1936, no Processo n.º 22.431/1936, nos termos da legislação em vigor.

Ano 1940 – Nos anos 40 os Corretores de Imóveis faziam parte de uma categoria organizada e reconhecida por toda a sociedade. Os sindicatos tinham uma estreita ligação com as associações comerciais, conseguindo estender aos seus associados todas as garantias conquistadas pelos trabalhadores brasileiros. Uma prova é o Decreto n.º 5.493 de 9 de abril de 1940, pelo qual os Corretores de Imóveis eram segurados no Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Comerciários, pagando seguro anual obrigatório.

Ano 1942 – No início de 1942 a Associação de Corretores de Imóveis regulamentou um projeto rigoroso para a admissão de novos associados. Eram aceitos apenas os profissionais que exercessem efetiva e seguidamente a profissão durante, no mínimo, dois anos, mediante prova concludente. Mais que isso, era preciso preencher todos os requisitos de absoluta idoneidade moral e profissional.

Ano 1942 – O Decálogo do Corretor: trata-se de outro documento aprovado pelos sindicatos dos Corretores de Imóveis de São Paulo e do Rio de Janeiro em outubro de 1942. Descreve como deveria ser o espírito e a conduta dos profissionais, tanto perante seus clientes e companheiros de classe, como em relação à entidade.

Ano 1950 – Pelos meados de 1950 começaram a surgir as primeiras imobiliárias, um tanto tímido o seu comércio; sua ação tinha um lugar especialmente no setor de loteamentos. Novos bairros despontavam em seus primeiros passos e a atuação do Corretor de Imóveis foi inequívoca projeção, na motivação, no incentivo e na colocação direta dos novos loteamentos.

Ano 1951 – Ulysses Guimarães regulamenta a profissão de Corretor de Imóvel.

Ano 1958 – Mulheres podem ser corretoras: O Código Comercial Brasileiro, no seu artigo 37, ao especificar os que não podem exercer a função de Corretor, incluía as mulheres. Este quadro só foi alterado a partir de março de 1958, por meio de uma decisão do Tribunal de Justiça, em função da Constituição que revogava o artigo proibitivo constante no Código Comercial.

Ano 1962 – No dia 26 de outubro de 1962 aconteceu a primeira reunião plenária do Conselho Federal de Corretores de Imóveis do Brasil (Cofeci), na sede do Sindicado dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo. No mesmo dia em que ocorreu a primeira reunião do Conselho Federal de Corretores de Imóveis foram criados os conselhos regionais dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás, Paraná e Pernambuco.

Ano 1981 – Em 1981, o Cofeci estabeleceu como símbolo dos Corretores de Imóveis o Colibri “Glaucis hirsuta” (resolução 126/81, assinada por Aref Assereuy) e criou a medalha do mérito do Corretor de Imóveis, além de instituir o registro de mérito “ad perpetuam rei memoriam”, em um livro especial.

Ano 1982 – A crise de 1982 a 1984 no mercado imobiliário afastou da corretagem de imóveis entre 30% e 45% dos profissionais no Estado de São Paulo. Além disso, reduziu significativamente seus ganhos, provenientes apenas das comissões de venda.
Esta crise do mercado foi provocada em grande parte por uma outra, a do Sistema Financeiro da Habitação. Os mutuários não conseguiam pagar o valor das prestações, extremamente elevadas, em comparação com a política salarial adotada.

Os primeiros Corretores de Imóveis eram consultores da família – pessoas de confiança que não mediam esforços e distâncias para atender bem a seus clientes. Eram os Corretores de bons negócios que ”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *